O risco de quem fuma cigarro na pandemia

Sempre é bom lembrar os riscos para a saúde de quem fuma. O cigarro pode causar problemas respiratórios, doenças cardiovasculares, câncer e outros tipos de doenças. Hoje o tabagismo é uma das maiores causas de morte (isso antes da pandemia) no Brasil, e no mundo.

Um estudo feito pela Fundação Oswaldo Cruz e a Universidade Federal de Minas Gerias, apontou que o consumo de cigarro no Brasil cresceu durante a pandemia do novo Corona Vírus, enquanto que em outros países, como no Reino Unido, esse índice diminuiu.

Entre os motivos deste número aumentar aqui no Brasil podemos destacar ansiedade, estresse, incertezas e falta de perspectiva, gerados pelo cenário da pandemia.

Em outro estudo realizado pelo Instituto Nacional do Câncer, foi constatado que a dependência de nicotina mata 428 pessoas no Brasil a cada 24 horas. Além de todo o prejuízo emocional imensurável, as mais de 156 mil mortes por ano causadas pelo tabagismo geram um custo de R$ 56,9 bilhões em despesas médicas e outras perdas financeiras. O órgão estima ainda que até o final de 2020 surgirão no Brasil mais de 30 mil novos casos de câncer de pulmão, traqueia e brônquio, sendo 17.760 nos homens e 12.440 em mulheres, todos vítimas do tabagismo.

Cigarro e coronavírus: uma pandemia que piora outra.

Cigarro e coronavírus: uma pandemia que piora outra.

Além disso, um fumante tem 88% mais chances de ser infectado se comparado com quem não fuma ou é ex-fumante. Isso se deve pelo sistema de defesa do organismo que fica comprometido.

E para quem já integra o grupo de risco da Covid-19, o tabagismo se torna um grande agravante.

Segundo informações da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo, 80,7% dos óbitos pela Covid-19, são de pessoas que já sofriam de alguma doença crônica, que em grande maioria foi causada pelo consumo de cigarro.

O pneumologista do hospital Beneficência Portuguesa, José Rodrigues, diz que uma doença pulmonar crônica que não é controlada, aumenta o risco do contágio do novo coronavírus e pode evoluir para o estágio mais grave da doença.

“O vírus tem o ciclo dele no pulmão, mas há dois grandes problemas: falta de medicação que consiga bloquear a replicação do vírus e a consequência do vírus trazendo um processo inflamatório que pode ser devastador. Se o vírus infectar um pulmão já inflamado, por conta do cigarro ou de doença, a probabilidade do óbito é maior”, explica Rodrigues.

No Dia Mundial Sem Tabaco, milhares de especialistas alertaram sobre o risco evidente do tabagismo em meio a pandemia.  E também que as empresas de tabaco, diminuam as vendas e a produção em meio à pandemia.

A melhor solução neste caso é encontrar meios para abandonar esse vilão que traz grande risco à saúde e à vida. Parece difícil mudar quando o cigarro tem a promessa de ajudar a acalmar em momentos difíceis. Porém, esse efeito é puramente psicológico. Na verdade, o principal efeito do cigarro é a dependência causada pela nicotina.

Para abaixar ansiedade e diminuir o estresse, uma grande chave é criar hábitos saudáveis, principalmente o de exercícios físicos No nosso blog você pode encontrar dicas de exercícios físicos para se fazer em casa.. No novo portal da Sociedade Brasileira de Cardiologia, é possível encontrar muitas dicas e tratamentos práticos para quem quer parar de fumar. Também é possível enviar dúvidas e receber orientações. Em momentos de crise, buscar melhoria na saúde é um ótimo aliado para elevar o bem-estar.