3 de outubro de 2019

Câncer de mama – A doença que mais mata mulheres no Brasil

O Outubro Rosa chegou e mais uma vez trás a tona informações sobre uma das doenças que mais matam mulheres no mundo, o câncer de mama.

Só em 2018, a doença representou 24,2% do total de casos de câncer femininos no mundo, atingindo cerca de 2,1 milhões de mulheres. Esse ano foi estimado a incidência de 56,33 casos a cada 100.000 mulheres.

[su_expand more_text=”Mostrar conteúdo completo” less_text=”Mostrar manos” link_style=”button” more_icon=”icon: plus” less_icon=”icon: minus”]

Um levantamento feito no período de 2011 à 2015, a taxa de óbitos por câncer de mama em mulheres ocupou o primeiro lugar no país, representando 15,7% do total de mortes.

Mulheres com mais chances de desenvolver o câncer de mama

As chances do câncer aparecer em mulheres com mais de 40 anos aumentam significativamente, sendo que que na população feminina até 39 anos, a taxa é de menos de 10 óbitos a cada 100 mil mulheres.

Outras características que podem contribuir para o surgimento da doença:

– Menarca precoce (data da primeira menstruação);
– Primeira gestação depois dos 30 anos;
– Menopausa tardia;
– Histórico familiar;
– Má alimentação;
– Falta de atividade física;
– Alto consumo de bebidas alcoólicas e o tabagismo.

Sintomas:

– Mudança no formato da mama;
– Vermelhidão, ardor ou coceira;
– Nódulo na mama ou axila;
– Mudança na textura da pele;
– Dor constante na região da mama ou axilas;
– Saída de liquido de origem desconhecida;
– Afundamento ou retração;

Quais exames podem detectar o câncer de mama

Exame físico: realizado através da palpação da mama, buscando identificar possíveis nódulos ou outras alterações na região da mama.

Exame de sangue: Nesse exame deve-se identificar se algumas proteínas específicas como CA 125, CEA, MCA, AFP teve suas concentrações aumentadas.

Ultrassom de mama: Geralmente é feito após a mulher fazer uma mamografia, onde, o resultado possa ter apresentado alguma alteração.

Exame indicado para mulheres que possuem mamas grandes e firmes, principalmente para casos de histórico familiar.

Ressonância magnética: Esse exame geralmente é realizado quando há uma grande suspeita de câncer de mama na paciente, por já ter apresentado resultados preocupantes em procedimentos anteriores. Nesse caso ajuda o ginecologista a confirmar ou não o diagnóstico.

Biópsia da mama: ultimo exame realizado para confirmar a presença do câncer, sendo feito em laboratório com amostras retiradas direto da mama, onde é possível detectar as células cancerígenas.

Exame fish: Já com a confirmação do câncer, esse exame é feito para ajudar o médico a escolher qual o tratamento ideal para cada paciente específico.

Tratamento

O câncer de mama apresenta agressividade em todas as suas instâncias, sendo de extrema importância a realizações de exames para antecipar o máximo possível o tratamento.

Após analisar em qual estágio está, existem alguns tipos de tratamentos para tentar conter ou exterminar totalmente as células cancerígenas:

Mastologista: investiga a extensão da cirurgia;
Radioterapeuta: avalia a necessidade e o tipo de radioterapia;
Oncologista: avalia a necessidade e qual o tipo de tratamento complementar com quimioterapia deve ser realizada.

Quais as chances de cura do câncer de mama

Sim, o câncer pode ser curado. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial), as chances de cura podem chegar a 95%.

Sendo assim, procure imediatamente seu médico caso apareça algum desses sintomas em seu corpo.

[/su_expand]